domingo, 2 de novembro de 2008

No pedestal da altivez

No pedestal da altivez
gravitas na cegueira
do teu jeito fecundado
em abastança.

Rosto mascarado
de crua indiferença…

Olho-te profundamente
nesse teu olhar
que brilha de raiva
e gemem as palavras
que não são ditas..
vozeio na absoluta
escuridão da mensagem.

Desintegro-me
em mil dores
na ravina do esquecimento
a que me obrigo,
flagelando-me
emudecendo-me
nas horas
em que não choras
as minhas dores.

11 comentários:

Marta Vasil disse...

Poema lindíssimo a desmascarar palavras que doem: altivez, cegueira, indiferença, raiva, dores...


Boa semana

MV

Manuela Fonseca disse...

"Desintegro-me
em mil dores
na ravina do esquecimento"

As palavras doem...sim... Mais dói o poema quando é belo e canaliza toda a sua beleza em "mil dores".

Um beijinho apetecido***

Anónimo disse...

"nas horas em que não choras as minhas dores" - aqui está a "alma" do poema, a razão pela qual a imortalidade das palavras se partilha... Continua inspirada. E partilha connosco os teus poemas.
sempreemluta.nireblog.com

portallisboa disse...

O portallisboa (www.portallisboa.net) anuncia que estão abertas as inscrições para a participação na obra “Entre o Sono e o Sonho “ – Antologia de Poetas Contemporâneos. Colectânea a ser editada pela Chiado Editora. Consulte o regulamento em: http://www.portallisboa.net/modules.php?name=sonosonho

Marta Vasil disse...

Passei só para desejar um Natal com muita harmonia.
Um beijinho

MV

Vanda Paz disse...

Desejo-te um Natal com muita paz, saúde e carinho.

Beijos dos cá de casa

Abraço quente

Vanda paz

Conceição Bernardino disse...

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram,
mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis,
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".
(Fernando Pessoa)
Venho desejar um Feliz Ano Novo e dizer que no ano de 2009 estarei mais presente no teu Blog.
Conceição Bernardino

manzas disse...

"A cada dia de nossa vida, aprendemos com nossos erros ou nossas vitórias, o importante é saber que todos os dias vivemos algo novo. Que o novo ano que se inicia, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma bênção de Deus".

" UM FELIZ ANO DE 2009 "

Luis F disse...

" FALAVAM-ME DE AMOR

Quando um ramo de doze badaladas
se espalhava nos móveis e tu vinhas
solstício de mel pelas escadas
de um sentimento com nozes e pinhas

menino eras de lenha e crepitavas
porque do fogo o nome antigo tinhas
e em sua eternidade colocavas
o que a infância pedia às andorinhas.

Depois nas folhas secas te envolvias
de trezentos e muitos lerdos dias
e eras um sol na sombra flagelado.

O fel que por nós bebes te liberta
e no manso natal que te conserta
só tu ficaste a ti acostumado."
Natália Correia

Para ti e para os teus, um excelente 2009

Com amizade
Luis F

Maria disse...

Um bom 2009 para ti e família, Rosa.

Beijos

poematar disse...

Poema belo e intenso. Parabéns pelo livro e, a ver na imagem, deve ter uma boa edição gráfica. Posso conhecer o contacto da editora e quais foram as condições de publicação? Tudo de bom