quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Teu olhar anuncia

Teu olhar anuncia
o principio do fim.
Doce, amada, predilecta,
murmuras sem palavras
um fenecimento
que me banha de lágrimas.

-Respira o meu ar
ele é demais p´ra mim…-

Porque te vais assim
tão depressa, meu amor?

É fria a noite,
é eterna a saudade.

Sussurro-te silenciosos ais,
tacteio-te num negar a evidência,
amparo-te com manto da desgraça,
perco-me em orações finitas,
arrasto-me para o silêncio da separação
sem sentir que a dor
me cegou a alma…


-Respira o meu ar
ele é demais p´ra mim…-

12 comentários:

Vera disse...

Talvez porque esse ar tenha muita dor e saudade misturadas...
Adorei o poema Rosinha!

Beijinhos linda

Anónimo disse...

Parabens Rosa Maria Anselmo!

Brilhante Poema!

BFdS.

Jorgeatiom

Bruxinhachellot disse...

Uma noite fria, uma saudade eterna é uma tristeza sem fim. Muito comovente.

Beijos doces de sol e de lua.

Manuela Fonseca disse...

Um ar sofrido, uma saudade eterna, uma noite fria de calor humano...e, por vezes, fica aquele silêncio...aquele silêncio por enviar no envelope ainda aberto...o silêncio repleto de ar num poema ainda aberto...

Um beijinho terno*

( é preciso dizer que amei o teu comentário? ... Pois, bem me parecia que não era preciso...mas amei mesmo!!! )

Nelita

Alice disse...

Ola!!! Sou eu... Sogrinha, passa no meu blog que tenho lá uma surpresa para ti.... Beijos para ti e uma montanha deles para o pessoal aí de casa

José Alberto Valente disse...

Vim-te devolver o beijo que estalou lá no meu cantinho e amorteceu na minha bochecha...ou testa? bem não interessa...beiiijããoooo

Aníbal Raposo disse...

Passei e gostei. Vou voltar.

Daniel Aladiah disse...

Querida Rosa
Lindo poema.
Um beijo
Daniel

carol disse...

Há dias assim...
O poema está lindo!

beijinhos

LORENZO MONSANTO disse...

A dor das partidas...
Um cântico de sangue que se proclama.

Prefiro ficar.

Páscoa disse...

Comovente revela muita sensibilidade poética.
Adorei, parabéns!

Anónimo disse...

Obrigado por Blog intiresny