sexta-feira, 20 de julho de 2007

Corri apressada


Corri apressada
para o desencontro.
Ele estava ali,
faz tempo que me esperava.
Tropecei nas esquinas tortas
desta viela inquieta,
perdi o jeito sedutor
de conquistar o impossível,
escorreguei na passerelle
de corpos belos,
produzidos,
pintados de fresco.

- Queria tanto chegar a horas!

Não podia desencontrar-me
novamente do desencontro.
Fazia tempo que o encontro
estava marcado.
Não deveria perdê-lo
mais uma vez.

Era mágico o momento.

1 comentário:

Manuela disse...

Fruto da tua imaginação? Ou um encontro de muitos anos? :))

Adorei! Até porque os encontros de amor, nos deixam sempre tão nervosas...

Beijinho*