terça-feira, 17 de julho de 2007

Valeu a pena

Valeu a pena
nascer nu
e morrer coberto
de tudo e de nada?

Será que vale a pena?

E eles caminham
tão sós, junto a todos,
tão saturados
da podridão disfarçada
de uma viela escura,
iluminada
de má sorte,
negro xaile envolvente...

Será que vale a pena?

Encobrir o teu rosto
com pinceladas multicores,
disfarce de queixumes,
aguarelas tão misturadas
mas tão nítidas
de cores sem cor.

Será que valeu a pena?

3 comentários:

Vera disse...

"Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena!"
Um poema lindíssimo, como já nos habituaste!
Gostei muito do blog Rosa. Adoro a tua escrita e vai ser bom visitar sempre que possível o teu espaço.
Vou fazer um link no meu blog.

Beijinhos

Manuela disse...

Um poema suado de razões, de perguntas e de factos. Tudo vale a pena, menos vermos os Direitos do Homem violados!
Amei este poema!

Beijinhos da amiga que te adora***

Vera Carvalho disse...

Valeu a pena a visita e a leitura! Saio daqui enfeitiçada! Parabéns!