segunda-feira, 23 de julho de 2007

Passos largos


Passos largos
indefinidos,
intocável semblante.
Corro apressada
vou ter com ninguém,
tropeço nas minhas culpas
e desculpo-me
num desabafo mudo.
Tenho certezas
que a minha incerteza
me oferece.
E,
na agonia
de uma avenida agitada,
troco sorrisos
apenas e só
com a minha sombra.

1 comentário:

Manuela disse...

Sinto este poema e não consigo descrever o que sinto.
Gostei muito! Gosto dos trocadilhos.

Beijinhos*