sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Bom dia amargura


Bom dia amargura!
Tão cedo me visitas,
ainda é madrugada sabias?
Meu rosto ensonado
não te vê com nitidez.
De que forma vens vestida?
De ilusão, de revolta?
A tua cor é tão amarga...


Bom dia amargura!
Deixa-me dormir mais um pouco
o sol ainda não nasceu.
Ah, já sei
recordações me trazeis.
Terra longínqua
terra de sonho
terra sublime
país destruído por Ti.
Deixa-me voltar
suplico-te, por um só momento
vergo-me em joelhos
imploro-te, amargura.

Sabes? és cruel,
ficas zangada, que importa...
és insaciável.
Deixa-me, volta mais tarde
prefiro a solidão a ti.


Amargura, bom dia!
Voltaste tão cedo...
O botão ainda não floriu,
volta quando ele já não for rosa.

1 comentário:

Manuela Fonseca disse...

Gostei da tua coragem em mandar embora a amargura! Eu também prefiro a solidão.

Adoro ler-te!!