domingo, 26 de agosto de 2007

Sombras


As faces tem sombras,
não são vistas
estão escondidas
numa teia de ruelas
em janelas obscuras
num carrossel de odores,
na penumbra
de neos adormecidos.
Noite adentro,
em diálogo
ou monólogo
o silêncio impera!
É rei,
senhor ou escravo...
Tanto faz....

Elas, as sombras,
estão lá
moldadas numa claridade
que ofusca
os medos do confronto.

2 comentários:

Anónimo disse...

Este seu poema me sugeriu diversos estado da Vida, em ter diferentes estágios e sempre duas faces distintas como uma faca de dois gumes. Muito sugestivo e introspectivo, os meus parabéns.
Beijos e saudações de Godi.

Manuela Fonseca disse...

"Elas, as sombras, estão lá..."

As sombras comovem-se com as faces pálidas de escondidas... E este poema mostra bem isso!

Beijo grande