domingo, 19 de agosto de 2007

Não resisto ao feitiço da noite


Não resisto ao feitiço da noite,
transporto-me numa brisa
que atordoa,
arrasta-me
em pálido
ou brilhante encontro.

Um corpo que vou aceitar...

É o convite de uns olhos,
consentido desejo
do inconsciente.
Subtil máscara
que enfeita
me transfigura,
qual gazela sinuosa,
felina leoa,
mas sempre,
sempre
predadora da noite...

2 comentários:

Manuela Fonseca disse...

Brilhante encontro com a noite!!

Amei!

Sailing disse...

brilhante ... um belo texto do nosso encontro com a noite ... felinos, astutos ... seres que vivem e habitem.

Bjs
Sailing