segunda-feira, 19 de novembro de 2007

São coisas menores

São coisas menores,
migalhas de pássaro livre
que esvoaça no céu
onde teu olhar se inclina.
Em suspiros doces,
feitos de néctar de flores dispersas,
quebranto-me
em nicho de esperança
e sonhos utópicos
de noites partilhadas.
O vento diz-me teu nome
amaciando a quentura
da minha espera.

Esta noite
serão coisas maiores,
as migalhas
soltei-as em chão que fará brotar
saudade em forma de rosas.

6 comentários:

Vera Carvalho disse...

Ao ler-te esqueci a chuva, o frio, o Outono..."são coisas menores" perante a tua poesia!
Rosa, desafio-te no meu "Pétalas":).
Um abraço.

O Profeta disse...

Lindas as tuas palavras, se traduzem os teus sentires, então és uma pessoa maravilhosa...


Doce beijo

*©õllyß®y disse...

São as menores coisas que fazem a diferença...

Lindo____________

Bjcas ternas

Maria disse...

...."O vento diz-me teu nome
amaciando a quentura
da minha espera."......

Tão bonito.....
Beijinhos

Mel de Carvalho, www.noitedemel.blogs.sapo.pt disse...

Não são coisas menores, de todo!
São coisas maiores, as palavras que nos deixas.

Já havia lido este poema lá no nosso Luso.
Vim ler de novo!

Beijos d(a)e Mel

Manuela disse...

"São coisas menores" - Um embalo de poesia enquanto esperas por coisas maiores, enroscada na tua quentura, dentro da tua vida repleta de maravilhosas "coisas menores".

Um sonho de poema!

Beijinhos*
Manuela