domingo, 14 de outubro de 2007

Correm lágrimas


Correm lágrimas
pelas veias…
Deveriam ter sangue
vermelho ou azul
mas não.
São lágrimas salgadas
líquidas de medos
numa urgência
grávida de tédios
flocos, bolhas
novelos
enredos de espasmos.
Seguem o curso inverso
da corrente sanguínea
o coração não é o seu destino…
Andam á deriva
na babilónia dos gemidos

3 comentários:

Manuela Fonseca disse...

Um poema apaixonante que inverte o caminho das lágrimas e lhes dá um ritmo desmoronado, na beleza da tua poesia...

Parabéns!!

Beijinhos*
Manuela

Paulo Afonso disse...

Isto é Poesia!
Lindo, Amiga
Beijo AR

Bruxinhachellot disse...

Se não é o coração o destino dessas lágrimas, pra onde eles seguem? São poesias como a sua que gosto de ler e reler.

Beijos de Sol e de Lua.