domingo, 21 de outubro de 2007

Feitiço quebrado


Feitiço quebrado
abençoado,
sonhos sonhados
numa redoma de vidro
qual princesa desperta
por mágico ósculo de vida.
Ternura
em chuva de sorrisos
te ofereço.
E…
quedo-me
solene,
nesta abençoada
dádiva
de quem de ti
espera
desesperando
um olhar,
um sinal
um toque de encanto!

4 comentários:

Mel de Carvalho, www.noitedemel.blogs.sapo.pt disse...

Querida amiga... claro que estamos no domínio do metafórico, caso contrário dir-te-ia: ainda acreditas em Fadas e Druídas? Ehhhh

Linda a poesia, contudo. E que viva o sonho que nos alimenta

Beijinho da Mel

Paulo Afonso disse...

Mais que a Poesia, existe o Ser que a faz... num corpo de emoções, de sensações e de mistérios...
Este poema pode ser uma revelação, uma dor ou uma fantasia...
Nunca será uma ilusão!
Olho-te através deste poema e deixo-te por aqui um Beijo solto de força.

Beijo grande para ti Amiga

Manuela Fonseca disse...

Sim, a Poesia nunca será uma ilusão... Palavras ditas e reditas de um Ser que sofre, se angustia, se alimenta de amor ou saudade...

No fundo, e, apesar de tudo, Seres felizes! Porque escrevem...

Beijinhos Amiga
Manuela

Vieira Calado disse...

Um olhar, um sorriso, um toque de encanto...
Ah, o amor, o amor!
Boa semana, amiga.