sábado, 22 de setembro de 2007

Convida-me a dançar


Convida-me a dançar
abraça-me o corpo
ajusta-o ao teu
deixa-te experimentar
o cheiro, a pele,
o perfume
dos meus sentidos.
E baila
circunda nossos segredos
dando cor à dança
numa cascata
de sons
paixões e algemas.
Dança comigo
numa timidez atrevida,
numa fúria possuída
chicoteando
doces deleites.
E no ímpeto
de um febril devaneio
dir-te-ei:
- amanhã
voltarei a dançar
contigo,
por mim, por ti
numa sedução
acordada –

3 comentários:

Manuela Fonseca disse...

Um poema livre, liberto de grades psicológicas!

Dançar!
Amanhã...de novo...

Jinhos*

Joana disse...

Olá, adorei este poema... dá para sentir cada linha. Beijinhos xxx

Vera disse...

Que belíssima forma de seduzir nesta dança de corpos e palavras!
Lindo Rosinha!

Beijo