segunda-feira, 24 de setembro de 2007

A noite avança tranquila


A noite avança tranquila
e feiticeira
Os corpos tornam-se mel
provocante e irresistível.
Os olhares trocam-se
pecaminosamente tentadores.
A luz fascina rostos normais
transformando-os em belezas
selvagens, misteriosas.
A dança acontece em frenesim
descontrolado e desejado.
Bocas sedentas de tudo
sorriem em cascata hilariante.

Provoca-me que eu quero,
procura-me que eu desejo,
amanhã já é dia...

não te reconheço.

Sem a pintura da luz
sem as roupas retalhadas do sufoco
sem a magia envolvente das nossas noites
sou apenas o meu outro eu

que controlo até à próxima madrugada

3 comentários:

*©õllyß®y disse...

Momento doce que passei, que a pintura de cores fortes se façam na proxima madrugada...

Doce é meu beijo

Manuela Fonseca disse...

Vidas intensas de lágrimas e desejos...

Poema lindo!!

Beijinhos*

Mel de Carvalho disse...

Muito belo este poema, Rosa.

Abraço
Mel