quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Despi-me de mim


Despi-me de mim
vesti-me de ti.

Enrosquei-me
no oceano do teu corpo
como se a minha pele
tua fosse.
Respirei o teu olhar
olhei-te enfeitiçada,
enamorada...

e nesta partilha
ténue, quase translúcida,
coloquei-me na montra da ilusão,
voltando
a vestir-me de mim.

1 comentário:

Vera disse...

Lindo Rosa! Quantas vezes nos despimos de nós para nos "vestirmos" do outro... Mas não há nada como sermos sempre nós mesmos...
Adorei! Adoro sempre a tua poesia!

Mil beijinhos